Análises & Tendências: A Escuridão do Túnel Brasil II – 31/10/2015

Contexto:. O Brasil têm um problema de ordem estrutural gravíssimo, que não se resumo a questão de superávit fiscal deste e dos próximos anos. Posso afirmar, com certeza que estamos correndo o risco de nos tornarmos insolventes. O quadro geral do país nas vertentes política, econômica e social, emitem sinais através de indicadores que podemos qualificar de desestabilizadores. Este governo que aí está há 13 anos, conseguiu desfazer uma imagem positiva que se consolidou após o plano real, no mercado interno e externo. Estamos bem distantes da resolução dessa crise, visto que o resultado das discussões apresentadas estão sendo conduzidas por uma presidenta e um congresso, com um baixíssimo nível de compreensão e moralidade política para discernir a profundidade da gravidade da crise estrutural de nosso país. Neste momento, o povo brasileiro e os empresários vivem no total abandono, onde a falta de esperança, crise de confiança e um ambiente político promíscuo, comprovam uma grande tempestade perfeita.
INDICADORES:. A Falta de governança pública em todas as áreas do governo oportunizou a institucionalização de operações espúrias e a dilapidação do patrimônio do país sem precedentes na história econômica mundial. Estamos realmente sem rumo, e entendo que um concreto impedimento da presidenta Dilma, antecipará medidas pontuais para neutralizar a crise e a elaboração de um planejamento e uma agenda positiva de trabalho. O quadro é caótico, conforme abaixo:
- PIB 2015 – negativo em 3,05; 2016 – negativo em 1,50;
- Inflação – 2015 – 10,0%; 2016 – 6,40%;
- Déficit do orçamento fiscal – Tendendo a R$ 120 bilhões, com acréscimo das pedaladas fiscais;
- Selic – Não deverá ter aumentos significativos, já está fora da normalidade;
- Déficit público – R$ 2,80 trilhões, ou seja, 63% do PIB;
- Economia Interna – crescimento vegetativo, tendendo a negativo. Reforçado pela improdutividade industrial e perda de força do varejo;
- Surto perverso de corrupção de alta intensidade – Perdemos a credibilidade no mercado internacional;
- O país já lidera a fuga de capitais entre os emergentes, com queda de 30%;
- A Montanha russa do dólar e aumento do juro americano;
– Perda do Grau de investimento declarado pela agência Standard & Poor’s; e colocado e na perspectiva negativa, BBB- pela agência americana Fitch Ratings.
Estamos diante de uma crise de dimensões sem precedentes que coloca todos nós reféns de um Governo imoral e mentiroso e uma classe política indecente, que está leiloando o país de conformidade com sua sede de poder.
ANÁLISES: . Sabemos que ajuste fiscal com aumento de impostos não é o caminho adequado para um país que precisa de uma reforma estrutural, pois servirá somente para alimentar o saco furado de um governo decadente. Ma sim ações conjunturais, que recoloque o nosso país firme na rota do crescimento econômico e reative o apetite dos investidores nacionais e internacionais, além da justiça social.
TENDÊNCIA:. É lastimável, porém nesse momento não consigo ver um horizonte concreto de melhorias reais na economia até meados de 2018. A situação está bastante confusa, com a fragilização estrutural de nossa economia.
CONCLUSÃO:. Um grande paradoxo, enquanto nasce um grande acordo de parcerias transpacífica, que cria um bloco monumental capaz de controlar 40% do PIB mundial, reunindo 12 países, entre os quais EUA e o Japão, o Brasil assiste inerte atolado nas mazelas de seus governantes e políticos. Este feito é puramente associado a países que realmente pensam no futuro de seu povo e de seus negócios, com notória sabedoria. Que pena, mas estamos desprovidos de homens capazes de um espasmo de grandeza para levantar este país de grandes potencialidades, e fazê-lo seguir pelo caminho brilhante da prosperidade.
NG:. Enfim, estamos caminhando para uma situação insustentável em ritmo acelerado e profundo, em razão de três agravantes negativas: Falta de governabilidade, irresponsabilidade e imoralidade da classe política e desconfiança geral. O conjunto da crise fundamentalmente o que é? Ninguém confia em ninguém. Porque não se faz nada? É preciso atitudes sérias e responsáveis, para abrir janelas na direção de novos horizontes com sinais positivos, visando mostrar a todos, e principalmente ao front externo, que o país sabe para onde está caminhando. A escuridão do túnel Brasil, neste momento sinaliza viéz de agravamento.
No resumo das questões colocadas acima, reafirmo o grito de “Fique Alerta Brasil.”

Wolgano Nogueira Messias
Diretor de Análises e Tendências do ITAG-ES