Análises & Tendências: A Escuridão do Túnel Brasil!!! – 21/03/2015

Contexto: Crise sem precedentes em nosso país. O Governo PT conseguiu desestruturar as variáveis políticas, econômicas e sociais, um verdadeiro vendaval de incompetência associados à corrupção e desonestidade. No mercado externo o Brasil é visto com total falta de credibilidade. E o Grau de Investimento?
Fatos: Atos criminosos caracterizados por desvios na Petrobrás, Eletrobrás, Correios, BNDES, além da desestruturação do superávit primário, balança de transações correntes, crescimento econômico vegetativo e descontrole do tripé macroeconômico, inflação, juros e câmbio. Não posso deixar de acrescentar um complicador importante nesta desordem, que é a farra do crédito. Os principais indicadores sociais como a educação, saúde e emprego o governo abanou completamente. O maior e mais complexo indicador está na área política, onde o PT perdeu a sintonia com sua base aliada, e sofre uma pressão forte da oposição, aumentando as incertezas na economia.
Análises: Diante dos fatos relatados acima é patente a complexidade para recuperação de nossa economia, visto que, não existe ambiente favorável para aprovação dos ajustes que o ministro da fazenda Joaquim Levy está propondo, pois atinge diretamente os agentes econômicos e o povo brasileiro, que estão pagando um preço absurdo para o consumo de combustível e de energia elétrica. É também de nosso inteiro conhecimento, que os mandatários atuais de nosso país são Eduardo Cunha e Renan Calheiros, presidentes respectivamente da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Logo, entendo que as propostas do governo dificilmente passarão sem alterações dessas duas casas, que antes de tudo pensarão nas próximas eleições. A política de pleno antagonismo entre a presidenta Dilma e o Congresso está colocando a economia em apuros, não existindo outra explicação para a dimensão das pirotecnias registradas, por exemplo, nas variações no câmbio e bolsa de valores.
Tendências: É obvio que o governo não terá forças para negociar com as duas casas do congresso para colocar em prática medidas de alcance unilateral, ou seja, o buraco aberto pela presidenta Dilma, deverá ter a contribuição do governo, cortando na própria carne as suas estruturas, visando amenizar o fardo destinado aos agentes econômicos e o povo brasileiro. A situação está tão caótica que analistas e economistas de várias linhagens não arriscam prognósticos para nossa economia. Entendo que caso Joaquim Levy fique até o final e os ventos da nossa política soprem de forma mais suave, e não haja sobressaltos nas economias americana, européia e chinesa, podemos sonhar com um pequeno raio de luz no final do túnel Brasil, no final de 2016. Os cenários são bastante desafiadores, e serão necessárias mudanças profundas. Seremos capazes de suportar?
Conclusão: Enfim, colocar em prática um plano que crie sintonia fina entre micro e a macroeconomia necessitará de coragem, lealdade, credibilidade, sabedoria e honestidade para negociação, virtudes que a presidenta Dilma não possui. O Brasil neste momento assemelha-se a um transatlântico, que está a deriva em meio a uma forte tempestade. Os recursos para sustentabilidade e sobrevivência deverão vir das seguintes variáveis: Superávit na balança comercial, efetivo superávit primário, regulagem na inflação, juro, câmbio, produção industrial, e uma excelente política de comercio exterior. Não acredito em medidas paliativas. O Brasil precisa de uma Governança Pública séria, que seja respaldado em um Planejamento Estratégico Público, com seus respectivos projetos por ministérios, definição de demanda de recursos e análises pertinentes, e que esteja em sintonia com o orçamento aprovado. Estamos no início do terceiro mandato Governo PT, estas ferramentas de gestão nunca foram elaboradas e aprovadas pela nação através de seus representantes eleitos. É claro que ficou muito mais fácil institucionalizar a corrupção em todos os níveis.
Obs. Entendo que o Governo ainda não fez a leitura correta do movimento de rua do povo brasileiro realizado no dia 15/03 e a gravidade da situação atual em todos os sentidos, além de não perceber o potencial de mobilização das redes sociais em harmonizar pessoas em torno de uma causa.
N.E.: Para os investidores nacionais e internacionais, quero reafirmar as potencialidades de nosso país. Entendo que a despeito do que está acontecendo, o Brasil continuará sendo um porto seguro para os investimentos diretos que aportarem por aqui. Somente recomendo uma criteriosa escolha do modelo de análise de investimento que contemplem setores com uma clara evidência da matriz de risco/retorno, principalmente no longo prazo, que é o horizonte de quem investe notadamente em ativo fixo. A crise política e a crise econômica já estão gerando excelentes oportunidades que só os investidores profissionais saberão identificá-las.
No resumo das questões colocadas acima, reafirmo o grito de “Fique Alerta Brasil.”

Wolgano Nogueira Messias
Diretor de Análises e Tendências do ITAG-ES